quarta-feira, maio 19, 2010

Lúcidos comentários acerca do caso Bruna Real

Em primeiro lugar, digam lá se eu não sou fantástico! Consegui reproduzir aqui a única foto da Bruna Real em que ela aparece vestida! Não é para todos...

Bom, não podendo entrar na Bruna Real, resta entrar no caso que se gerou acerca dela. Li muita coisa, ouvi muita coisa e, principalmente, vi muita coisa sobre a Bruna Real. E gostei do que vi, embora nem sempre tenha gostado do que li e do que ouvi. Enfim, nesta questão, como em tantas outras, uma imagem vale realmente mais do que mil palavras, e se essa imagem contiver mamas, cu e pachacha, bom, o valor aumenta exponencialmente. Contudo, disperso-me. Vou voltar ao que realmente interessa. "Mas há outra coisa de interesse neste caso para além das mamas?", perguntar-me-ão vocês. Não, mas vamos todos fingir que somos uns intelectuais interessados pelas envolvências da sociedade e patranhas afins. É só por um bocadinho e não dói nada...

O que, adoptando a perspectiva acima, realmente interessa é a polémica que o caso gerou. Bruna Real era uma professora, despiu-se, e por causa disso, foi impedida de continuar a dar aulas. Ora isto, minha gente, é um escândalo! Uma patifaria! Não vou ser primário ao ponto de dizer que "Eh, eh, eh, o que eu queria era ter uma professora assim", porque já tive uma professora assim - mas já lá vamos! O que escandaliza nesta situação é: pela primeira vez, temos uma escola e uma professora que são notícia não porque a professora é agredida pelos alunos, não porque a professora agride os alunos ou lhes rouba os telemóveis*, e sim porque a senhora professora se envolveu em actividades extra-curriculares! Quer dizer, estão sempre a atirar-nos aqueles chavões de que aquilo que o país precisa é mais livre-iniciativa, mais empenho, menos dependência do Estado, e quando uma rapariguinha na casa dos 27 anos faz exactamente estas coisas, pimba, dão-lhe na cabeça! Não pode ser!

Atenção, não quero fazer da Bruna Real um exemplo. Longe de mim exigir que todas as professoras deste país desatem a fazer o mesmo que a Bruna fez. Pá, eu tive professoras que de certezinha absoluta perderiam um concurso de beleza para a Odete Santos! Não quero ver gente desta a posar nua. O que eu quero dizer é que não tem mal nenhum, seja para a escola, seja para os alunos, seja para os pais, seja para o Ministério da Educação, seja para as próprias professoras, se uma rapariguinha toda boazona, que por acaso também é professora, decide despir-se para uma revista masculina. Não é isto que irá pôr em causa a reforma do sistema educativo. Até é, em boa verdade, capaz de lhe dar novo alento...

Amanhã, conto-vos a minha experiência pessoal com uma professora assim tipo Bruna Real...

__________________
*Não quero com isto dizer que o facto de a Bruna Real se ter despido não possa gerar certo tipo de violência. Pode, efectivamente. Estou certo de que muitos rapazinhos já devem ter estado a dedicar-se à actividade de espancar o macaco. Mas, hey, sempre é algo mais saudável do que irem para casa ver os Morangos com Açúcar...

2 comentários:

Ilda disse...

Estou ansiosa...

H.Vogado disse...

A professora teve sorte por ser de Mirandela, porque se fosse de Mem Martins ninguém falava dela.

Nada como uns "Mirandela Muffins" para pormos os olhos no interior... do país.