quinta-feira, setembro 16, 2010

Soluções de recurso

Ora, está um tipo muito bem descansado no conforto do seu... do seu... do seu quê?!?! este mundo em que vivemos não é para confortos! Reformulo, então: está um tipo muito bem descansado na irritação da sua crise quando depara com a notícia de capa do Record: ao que parece, a Federação Portuguesa de Futebol quer contratar o Mourinho por dois jogos. O propósito é similar ao de uma Junta de Salvação Nacional: tal como os militares de Abril ocuparam temporariamente o poder até que houvesse condições para realizar eleições livres e democráticas, Mourinho orientará Portugal até que venha, ao que tudo indica, o risco ao meio do Paulo Bento.

A medida é desesperada, porque também o é a situação classificativa da selecção portuguesa. Espera-se que, com Mourinho, a equipa das quinas dê uma sapatada na crise, deixando terreno aberto para o próximo seleccionador nacional se poder impor, e isto sem ter de mandar ninguém para a con@ da mãe.

Não tendo eu qualquer simpatia pela selecção nacional, abstenho-me de fazer comentários positivos ou negativos sobre esta iniciativa da Federação. Não me interessa o seu resultado. Agora, o que eu acho é que podem tomar-se medidas similares noutras áreas da vida nacional! Raciocinem comigo: a selecção está pelas ruas da amargura, certo? O Queirós foi à viola, certo? Em princípio, quem vem a seguir é o Paulo Bento, certo? E enquanto o Paulo Bento não chega, a Federação quer jogar pelo seguro, isto é, contar com o Mourinho, um treinador cujo currículo fala por si, durante dois jogos decisivos, que Portugal não pode perder. É isto, não é?

Então, por que não se propõe uma medida igual para o país?! Portugal está na merda, não está? O Sócrates deve ir à viola, não deve? Em princípio, quem vem a seguir é o Passos Coelho, não é? Então, e enquanto o Passos Coelho não chega, que tal jogarmos todos pelo seguro, isto é, colocarmos no governo alguém com provas dadas na gestão de orçamentos limitados, fosse em épocas de expansão, estagnação ou mesmo contracção, alguém que, desde sempre, pugnou por promover o desenvolvimento não apenas económico, mas também moral e intelectual dos seus dependentes?! Ou seja, por que é que não colocamos no governo, durante este período de transição, a minha mãe?!?!

Pensem nisto, e se estiverem de acordo, digam-me qualquer coisinha, que é para ver se a convenço. Aposto convosco que esta treta de país entra logo na linha...

4 comentários:

Carlos Garcia disse...

Assino essa moção.

Angelik disse...

Ah!Ah!
Muito Bom!
Estou contigo nessa!

Ilda disse...

Ora, por mim pode ser desde que eu seja a sua acessora principal!!!

Henrique Vogado disse...

Há mesmo pouca gente com valor em Portugal. Não há um Paulo Bento para ser selecionador?
Com a selecção a jogar assim, até o Jorge Costa podia ser.