quarta-feira, maio 20, 2009

Constatação dramática: o meu cão é gay!!!!

É verdade! Lá em casa, toda a família entrou em estado de choque: o nosso pequeno canídeo saiu do armário e assumiu-se como um cão bicha. Há quem nunca mais recupere da revelação.

A coisa conta-se em poucas palavras: a minha gaja foi ontem ao veterinário para vacinar o ãoão. O rafeirito portou-se bem até entrar na sala de espera, onde uma dezena de cãezinhos aguardava pela sua vez. Excitado com tanta companhia, o nosso Snupito não parava quieto e começou a fazer aquilo que um cão faz quando a excitação ultrapassa os limites: vá de empernar. Mas empernou ele a samoieda que lá estava? Não! Empernou ele a arraçada de podenga? Também não! O bicho bicha maluca foi logo atirar-se a um macho que por lá andava e que, curiosamente ou não, respondeu com carinhos aos carinhos do nosso cão. Aquilo parecia o Blue Oyster Bar do Academia de Polícias, só faltou uma musiquinha disco a condizer...

Foi aí que fiquei a saber da triste realidade. Há cães rabetas. E um deles é meu. Fazendo uma retrospectiva, confesso que devia ter prestado mais atenção a certos sinais. O facto de, nas brincadeiras, ele roçar-se sempre em mim e nunca na minha gaja devia ter-me feito pensar. Ou quando tinha lá a famelga e ele se atirava ao meu irmão, mas nunca à minha irmã. Ou quando o vi interessado em compor arte. Ou, ainda, quando pela nossa rua passava um carro com a música do Mika aos berros e o canito se punha a abanar o rabo.

Mas desprezei estes indícios. Não dei importância. Se tivesse actuado no momento certo, talvez ainda pudesse virar o bico ao prego. O Snupito podia apenas estar confuso, e bastar-lhe-ia uma ida às putas para ele se convencer das vantagens de uma relação com o sexo oposto. Mas agora é tarde demais. Ele já tem a sua homocãosexualidade perfeitamente desenvolvida. O mais que eu posso fazer é comprar-lhe umas roupinhas de cabedal e instalar-lhe um globo de cristal na casota. E levá-lo às paradas gay.

A minha gaja, homofóbica por natureza, ainda não caiu em si. De cinco em cinco minutos, martiriza-se: "Onde é que eu falhei?", "Será que foi dos biscoitos em forma de ossinhos que eu lhe dava em pequenito?", "Tê-lo-ei retirado à mãe demasiado cedo?" são algumas das lamentações que mais se escutam lá por casa. Já a vi até chegar-se junto do pobre animal para lhe perguntar, lavada em lágrimas, se ele já tentou não ser gay. Ao que o bichinho responde: "Ão", como quem diz: "Cala-te e vai ali chamar o doberman da vizinha da frente, hoje apetece-me fazer amor à bruta!".

É dramático o ambiente que se vive por estes dias... Pobre Snupito...

10 comentários:

Rafeiro Perfumado disse...

Eu sei que é dramático, mas só têm de o apoiar! Complicado vai ser quando ele entrar em casa e disser "papás, quero apresentar-vos o meu namorado, o Rotovailer"

Peter of Pan disse...

Da minha parte, tem o apoio de que necessita. A minha gaja é que já prometeu nunca mais lhe voltar a pôr Friskies na tijela.

Pulha Garcia disse...

"Foi aí que fiquei a saber da triste realidade. Há cães rabetas." ahahahhahahahah

Pelo menos não tens que te preocupar em esterilizá-lo. A menos que seja bi...ou pior ainda metro-sexual.

Agora só têm que o apoiar, como diz o Rafeiro Perfumado. Mostrando-lhe imagens do Cláudio Ramos e dando-lhe dinheiro para ir ao Frágil.

Ilda disse...

Eu, ainda não me recuperei de tal facto! Só me faltava isto, ter um rafeiro larilas! Possivelmente vai votar PS e qualquer dia tem que legalizar o casamento para cães panilas!

P.S. Acho que vou precisar de acompanhamento!

Ninja! disse...

Apesar de cão homo sair mais barato, lamento por ti... Ninguém merece isso! :P

Catwoman disse...

"Blue Oyster Bar do Academia de Polícias"

Hihihi do que me fizeste lembrar..

Beijinhos para ti para a tua gaja e arranhadelas ao ão ão gay

)0( disse...

Epá! Antes o cão!
:)

subtilezas disse...

Frederico Garcia Lorca, Franz Schubert, Virginia Woolf, Leonardo da Vinci, Somerset Maugham, Jean Genet ... são alguns dos muitos gays que por aí andam e andaram, a fazer coisas boas e coisas más. lamento este post e nem piada consigo achar mas acho que o devo dizer da mesma forma que me divirto muitas vezes a vir aqui. um dia em que a sociedade olhar menos para a sexualidade das pessoas e mais para a sua humanidade, nesse dia serei mais feliz.

papagaio disse...

ja nao ha pachorra para tanta paneleiragem...antigamente era proibida depois passou a ser tolerada qualquer dia é obrigatoria e aí raspo-me do país caraças........

Peter of Pan disse...

@Pulha: pá, o Cláudio Ramos não. O cão é gay, mas não é maricas!

@Gaja: homofóbica!

@Ninja: não dicrimines o canito, pá!

@Catwoman: o Blue Oyster Bar é um clássico, com os seus motoqueiros e a sua musiquinha inconfundível.

@)O(: o que queres dizer com isso?!

@Subti: agradeço a tua sinceridade, mas acho que me interpretaste mal. Tenho a dizer-te que estou - sempre estive, aliás - do lado da causa gay (sou a favor do casamento entre pessoas do mesmo sexo e, até, da adopção, o que nem todos admitem). Mas o facto de possuir estas convicções não me impede de fazer umas brincadeiras politicamente incorrectas.

@Papagaio: e depois vais para onde, caraças?!