terça-feira, setembro 15, 2009

Não sabem em quem irão votar? Então votem no Partido do Futebol!

Nestes dias, dois temas ocupam a mente dos portugueses: a mama esquerda da Rita Pereira e a mama direita da Rita Pereira. Mas nos intervalos de tão profundas reflexões, o povo português não se furta ao zeitgeist, e o zeitgeist, porque começou o campeonato nacional e porque estão aí a bombar as eleições legislativas, obriga a que se fale de futebol e de política. Basta irmos aos cafés, às repartições públicas, aos bares de alterne: futebol e política estão na ordem do dia, e se o primeiro tema nunca de lá saiu, já o segundo espanta um bocadinho. Quem é que se lembra da última vez que discutiu temas políticos com um conhecido ou desconhecido? Quem é que alguma vez andou à porrada com um grupo de pessoas só por causa do papel do Estado na economia? Quem é que já mandou à fava a mulher por ela ter dito bem dos óculos do Louçã?!

Eu digo: ninguém! Mas basta observar o que se passa à nossa volta nestes dias para atentarmos no que mudou. Agora, qualquer um fala de política, e não apenas os taxistas. Toda a gente tem uma opinião sobre o TGV, sobre o RSI, sobre o PEC. Qualquer gato pingado consegue apresentar um gráfico sobre o aumento do desemprego, o aumento do défice, o decréscimo da competitividade ou até sobre o número de parolices ditas pela Carolina Patrocínio. Os temas da política vieram decididamente para ficar...

...e é com o propósito de capitalizar este novo interesse dos portugueses pela política, bem como manter o eterno interesse pelo futebol, que me decidi pela criação do Partido do Futebol, debaixo do mandamento "Política e bola sempre andaram de mãos dadas, está na altura de os casarmos de uma vez por todas!" O programa que elaborei é, creio, forte e adequado aos tempos que vivemos, e exorto todos à sua leitura. Espero ainda ir a tempo para colocar o meu partido nos boletins de voto do dia 27 de Setembro...

Programa do Partido do Futebol

Declaração de princípios

Caros concidadãos: estamos a passar por uma fase de merda. O nosso país atravessa uma crise lixada, à qual os partidos políticos com assento parlamentar não sabem, ou não querem, responder. Por esse motivo, decidimo-nos pela criação de um novo movimento político. Um movimento que quer estar próximo dos portugueses. Um movimento que quer marcar um golo na baliza da dificuldade. Um movimento cujo losango funciona! Um movimento que, em resumo, associa as duas actividades mais importantes para o funcionamento de Portugal: a política e o futebol. Pedimos a todos que se juntem ao nosso projecto e que façam da nossa a vossa força. E que dia 27 todos saibamos por que ninguém fica em casa. Força Portugal, allez!

Propostas

1 - O Partido do Futebol promete um apoio sem precedentes aos pequenos e médios clubes. Basta da supremacia dos três grandes! O Estado tem sido pródigo na atribuição de fundos e apoios aos três maiores clubes do futebol português, à custa do esquecimento dos pequenos e médios clubes, que tanto fazem pelo futebol e pela economia nacionais. Não esqueçamos que são os pequenos e médios clubes que empregam jogadores, treinadores e dirigentes medianos - que são, no fundo, a maioria. Para onde iria esta gente se não fossem os pequenos e médios clubes? Para o desemprego, agravando assim, do ponto de vista económico e social, o país. Portanto, apoiar os pequenos e médios clubes é um desígnio nacional!

2 - O Partido do Futebol bate-se pela subida de Portugal no ranking da UEFA. O actual governo, em conúbio com os partidos da oposição, deixou que Portugal caísse para o 10º lugar do ranking da UEFA, atrás por exemplo de Ucrânia e Roménia, e ligeiramente à frente da Turquia. Ora, isto não pode continuar! Exigimos que Portugal esteja no lugar que merece, junto das grandes potências como Espanha, França, Itália ou Inglaterra. Não se pode pactuar com estes números: Portugal tem, actualmente, menos de metade dos pontos daqueles bifes d'um raio. É olhar para os números: a Inglaterra conta com 67.285 pontos, já Portugal fica-se pelos 29.962. Esta situação não pode continuar!

3 - O Partido do Futebol quer que se retire o Rendimento Social de Inserção aos profissionais que vivem à custa deste subsídio em lugar de contribuirem para o desenvolvimento do país. Não admitimos que senhores como Yannick Djaló, Nuno Gomes, Jorge Ribeiro, Nuno Espírito Santo, entre tantos outros, continuem a usufruir de benefícios que podem ser melhor aplicados noutras áreas. Se o Yannick Djaló ou o Nuno Gomes não conseguem dominar uma bola, nada mais justo que os rendimentos de que beneficiem sejam reconvertidos para, por exemplo, a formação de talentos. Ou para outro sítio qualquer!

4 - O Partido do Futebol promete que, em 5 anos, todos os portugueses terão rendimentos suficientes para comprar um árbitro e duas prostitutas a cada 15 dias. O Partido do Futebol proporá, ainda, que tais aquisições possam ser deduzidas no IRS.

5 - O Partido do Futebol promete nacionalizar todos os avançados brasileiros com qualidade, a fim de os colocar a jogar pela selecção. Porque esses avançados, afinal, são de todos, e devem actuar em benefício de todos.

6 - O Partido do Futebol criará um subsídio a favor da ocupação dos estádios em dia de encontro. Consideramos que os estádios vazios são algo que nos envergonha perante a Europa. Um país moderno, progressista e cosmopolita, como queremos que seja Portugal, deve ter 95% dos seus estádios a rebentar pelas costuras. Assim, propomos um pequeno incentivo: cada cidadão terá direito, por mês, a 150€ para poder ver jogos da 1ª liga ou, em opção, 200€ para assistir a encontros das 2ª, 2ªB, III divisão, distritais e regionais.

7 - O Partido do Futebol promete que, em jogos internacionais, a selecção portuguesa vencerá todos os jogos por mais de três golos de diferença. Prometemos também conquistar os campeonatos do mundo de 2014 e 2018, os campeonatos da Europa de 2012 e 2016, a taça das confederações em 2013 e 2017, a taça da nações africanas em 2010, 2012, 2014 e 2016 e a copa América em 2011 e 2015. Se tivermos tempo, também conquistaremos a taça das nações da Ásia em 2011, mas só se os seleccionados quiserem ir ao Qatar.


Com este programa, fico à espera da vossa cruzinha no dia 27... Bem hajam.

5 comentários:

francis disse...

se eu votasse nisto a minha mulher matava-me pá...ela já diz que a TV lá em casa tem sempre fundo verde...

Rachelet disse...

Já agora: sou só eu a ver afinidades entre o Berlusconi e o Pinto da Costa? Eu acho mesmo que foram separados à nascença. Até o gosto pelo mesmo tipo de moças de lupanar partilham.

Ilda disse...

Ok, já temos tantos partidos, pq não um da bola??? Olha que entre este e outros que por ai andam venha o diabo e escolha!

Pulha Garcia disse...

Tens hipóteses...

Rita disse...

Estou inclinada a votar no teu partido mas antes quero saber o que é que o Partido do Futebol pretende fazer com "Gilberto Madaíl" e "Carlos Queiroz"...
Jokas