terça-feira, junho 28, 2005

Dúvidas Existenciais (4)

No futuro, poderão as máquinas desenvolver Inteligência Artificial? E Estupidez Artificial? Poderá algum dia uma máquina alcançar o nível de Alberto João Jardim? E tornar-se Presidente do Governo Regional da Madeira?

Eterno Entorno

8 comentários:

Jovem Ex-Machina disse...

Alberto João é um automato e a prova "viva" que a máquina consegue ser melhor que o Homem em tudo, inclusive na palermice!

Tiago Mendes disse...

quanto 'a da estupidez artificial tem nao so muita piada como e' ate uma questao interessante em que nunca tinha pensado! a estupidez tem algo de erratico e imprevisivel, e por isso um estupido e' a mais perigosa das especies.

quanto 'a inteleigencia aritifical, aacho que nao, que nunca vai ser possivel e ja pensei muito sobre isso (nao li nada, confesso, mas penso muito comigo proprio). mais tarde darei uma opiniao, mas para ja fica aqui um aperitivo:

http://ometablog.blogspot.com/2005/04/este-post-impublicvel.html

CP disse...

Tiago se te interessa essa questão recomendo te que leias os livros de um prof espanhol Pascual F. Martinez-Freire "La Nueva Filosofia de la Mente". o gajo é um maluco mas levanta questões práticas muito interessantes acerca do futuro da robotica e da filosofia da mente.
Recomendo vivamente a leitura de modo a que te apercebas que estamos bem mais perto de emular a mente humana do que podes pensar!

Tiago Mendes disse...

ok! o problema e' exactamente o contrario: ver se nao tenho muitas sugestoes de leitura senao e' uma tentacao e nunca mais acabo o meu doutoramento (economia) :)

contudo, eu acho que e' uma questao de "qualidade" e nao de "quantidade" (como bem empregava o Bento de Jesus Caraca): acho que ha uma descontinuidade. Eu acredito que se podera chegar "muito proximo" da mente humana, sim, mas nunca se equivalera, porque a diferenca sera sempre qualitativa. As razoes para eu ter esta opiniao sao varias mas so' para nao me extender muito, tem a ver com a problematica da consciencia (e da forca de vontade e livre arbitrio, que dai seguem).

A questao que me interessa nao e' a do "poder intelectual" das maquinas, mas sim do que elas sao capazes de realizar autonomamente.

De qq forma, ha uma resposta talvez mais facil: como o homem ainda nao sabe muito acerca de si proprio (quer sobre o funcionamento muscular, quer sobre o funcionamento neurologico) sera sempre impossivel (a nao ser por acaso!) imitar o homem.

Embora nao seja eminentemente intelectual, pensemos em coisas simples que os robots nao conseguem ou tem dificuldade em fazer:
1- andar
2- andar de bicicleta
3- andar de patins
4- correr
5- jogar 'a bola

6- dancar com um par robot dancas de salao
7-dancar com um homem dancas de salao (ser o conduzido)
8-dancar com uma mulher dancas de salao (ser quem conduz)
9-tocar musica
10-improvisar musica

1-5 tem a ver sobretudo com o problema de equilibrio e coordenacao. Isto e' conseguido atraves de inumeros musculos internos em processos altamente complexos que ainda nao sao totalmente claros para o homem.

6-10, para alem do equilibrio tem o challenge da "interpretacao artistica" e mesmo da improvisacao e capacidade de leitura instantanea.

Nao sei bem se com estes exmeplos me desvio da intencao inicial do post. Mas e' sobretudo isto que me interessa: afirmar que ha algo de inerente ao ser humano que nunca sera replicado por uma maquina, por mais perfeita que ela seja. Uma maquina nunca sera capaz de "criar" ou de "improvisar" no verdadeiro sentido do termo, porque e' um conjunto de regras. Claro que nos tambem somos o que lemos, etc, mas ha uma diferenca qualitativa, parece-me. mas, como disse, de facto nunca li nada sobre o assunto, sao so pensamentos...

Ah, e de qq forma recomendo que vejam (se ainda nao viram) o "2001, Odisseia no espaco", do Kubrick e pensem na magia do (computador) Al...

CP disse...

Lamento...mas os robots já fazem tudo isso...talvez com a excepção da improvisação artística..mas mesmo assim na pintura já os há!

Tiago Mendes disse...

Já fazem isso tudo como? Não digo dobrar um joelho e dar um chuto numa bola nem correr a passo de caracol, nem fazer 1 kilometro de bocicleta. Quero Figos e ROnalsos, quero sprinters de 1ª água, e voluntários para o Tour de FRança, para descer a 100km/h.

Mas se os há diz-me que eu vou ver!

Ginja disse...

Eu percebo os pontos de vista de ambos, mas CP, com todo o respeito pela tua apaixonada relação com as novas tecnologias, concordo com o Tiago, gostava de ver isso, caramba ! É que é mesmo daquelas coisas que julgo serem uma questão de tempo até ácontecerem, mas ...... JÁ ?!?!?

CP disse...

Expo ciência no CCB, não sei se ainda lá tá mas exibia os novos robots pintores. Muito bom a nível do desenvolvimento de uma chamada "intuição" cibernética!
Estamos mais perto da ficção cientifica do que os caros amigos e amigas pensam!