domingo, dezembro 23, 2007

O Natal que se foda

O natal é provavelmente a melhor expressão da mediocridade das vidas que levamos.

Cão

6 comentários:

CP disse...

infelizmente concordo plenamente contigo.

CP disse...

e mais uma coisa:
O FIM DO ANO QUE SE FODA

Cão disse...

Oi CP. Fico contente que concordes.

Acho infeliz que se considere ser o natal a maior manifestação da dimensão espiritual do mundo em que vivemos. O natal não tem conteúdo, tal como as nossas vidas são supostas não terem conteúdo, resumindo-se a uma corrida de obstáculos que no final nos permitem ter dinheiro suficiente para comprar um lugar no cemitério. Acrescente-se a isso a ideia de que de alguma forma somos supostos ganhar a corrida e temos a ideologia dominante: se chegado a fim podes comprar a tua campa, viveste de forma respeitável; ninguém te pode censurar nada, a não ser, é claro, o facto de não te teres esforçado ainda mais; por outro lado, se tens a campa mais cara do cemitério, és apontado como um exemplo para as gerações futuras. É com isto que supostamente nos devemos contentar e ambicionar a alguma coisa de diferente é imediatamente tomado como ingenuidade. Pois sim, seja ingenuidade, mas pelo menos que também se admita que o natal é uma farsa, que não tem qualquer conteúdo.

Carapaus com Chantilly disse...

ah mas eu pretendo ser um suposto fardo para a sociedade ao não comprar campa nem deixar qualquer dinheiro a ser usado para esse fim. Aturem-me tb depois de morto caraças!

A minha vida tem conteúdo, miolo, substância e substracto. Só lhe falta mesmo o sentido mas creio ser para a esquerda.
CP

Ilda disse...

Eu quero ser "cromada" tou farta de ser "enterrada" em vida por esta sociedade que nos consome!!!

Anónimo disse...

e um ano e tal depois, eu tb estou aqui para dizer 'o natal que se foda' sim senhor. E que se fodam as listas de prendas, o bacalhau, a r. sta catarina em dezembro, os laços, as bolas, o pai natal, o pinheirinho, os enfeites, a arvore enorme, as luzes, as rabanadas, o perú, a aletria, o circo, e o raio que os parta. Tanto stress por causa do natal, tanta conta, tanta dívida, tanto mail, tanto beijo imerecido, tanta lata, tanta pomba assassinada...