terça-feira, novembro 10, 2009

O dia em que a minha gaja compreendeu, definitivamente, que não sou deste planeta

Porque nós somos um casal muito asseadinho, vai não vai andamos em limpezas. Normalmente é ela quem toma conta do aspirador, e eu do balde e da esfregona, e isto tem uma razão muito corriqueira por detrás: é que se for eu a aspirar a casa, o barulho do aparelho abafa o heavy metal que coloco na aparelhagem para ajudar a suportar as tarefas domésticas, ao passo que andar para a esquerda e para a direita com a esfregona permite-me ouvir o maravilhoso do sonzaço!

No entanto, da última vez que nos pusemos a limpar a maison, tive de ser eu a agarrar-me ao aspirador, isto porque a gaja andava tão entretida a jogar Farmville que descurou a sua colaboração. Portanto, it's a dirty job, but someone has got to do it, e toca de aspirar o chão. À falta da música que, como referi, não poderia colocar porque não se ouviria nada, tive de ocupar a minha mente com outras coisas. E quando a minha cabeça não está entretida a acompanhar os grunhidos death metal do vocalista de Obituary ou a emular os guinchos gélidos das guitarras dos Enslaved, só há uma coisa de que ela se lembra: javardeira!

E foi aí, quando eu estava quase a acabar de aspirar o quarto de dormir, que tive esta iluminação: criar músicas pornográficas para criancinhas! Julguei logo estar perante uma oportunidade óptima de negócio, pois trata-se de um nicho de mercado ainda por explorar. A minha ideia seria criar um projecto que misturasse a ternura de um Avô Cantigas com o lirismo de um Bocage ou, até, de um Manuel João Vieira. E as letras começaram a chegar em catadupa, ao mesmo tempo que ia aspirando as restantes divisões.

A primeira letra que criei foi esta: "O caralhinho não está sozinho", e o refrão reza assim

O caralhinho não está sozinho
Tem um amiguinho
Que é o cuzinho

O caralhinho não está só
Tem outro amigo
É o bóbó!

O bóbó e o cuzinho
São amiguinhos
Do caralhinho!

Imaginem esta merda musicada com uma viola e um teclado, e creio que podem ver o enorme potencial que isto tem!

Depois iniciei a criação de mais outra, ainda em desenvolvimento, "As vogais vão ao cu às consoantes", de que só tenho os seguintes versos:

A A A, vou-te à pá
É É É, cheiras a chulé
I I I, furo-te o pipi
Ó Ó Ó, come o meu cocó
Ú Ú Ú, rebento-te esse cu

Um gajo mete aqui uns coros e o camandro, e a coisa fica mais fixe do que o Requiem do Mozart.

Estando, então, diante de um conceito novo e com pernas para andar, desliguei o aspirador e fui partilhar com a gaja tão inovadora ideia. Expliquei-lhe: "Gaja, 'tou com uma cena bestial na cabeça. E se formássemos uma banda porno-infantil?" Ela, não convencida, limitou-se a torcer o nariz, mas não desisti e comecei a cantar as duas letras acima e que havia criado enquanto aspirava, aguardando por uma reacção.

E a reacção deu-se mas não, certamente, aquela que eu pensava. A minha gaja, incompreensivelmente, e em claro desprezo pelo meu génio, em lugar de apoiar a minha arte, veio logo com um "Mas tu és maluco?! Tu estás doido?! Que raio de coisa vem a ser esta?! Tu não és normal!!! Pobres criancinhas! Já não quero ter filhos contigo!!! Se não tomas juízo já, eu juro que chamo a polícia!".

Fiquei, como seria natural, muito desanimado com esta resposta. É triste ser um génio incompreendido, e ter dentro de si algo que, a ser bem aproveitado, não só me traria segurança económica como levaria alegria a milhares e milhares de criancinhas por esse país - não, mundo! - fora. E é lamentável que a minha própria cara metade não entenda o potencial de um projecto assim. Extremamente lamentável...

4 comentários:

Ilda disse...

Nem acredito que tiveste coragem... que raio de letras!!! Mas que tu não eras deste planeta já eu sabia desde o primeiro dia em que te vi, mas como eu sempre tive um fraquinho por conhecer novos mundos pensei que estava ali a minha oportunidade, e olha cá estamos!

Pulha Garcia disse...

Pessoalmente acho a ideia muito boa. Até podias ir às "tardes da Júlia" debitar essa poesia. Eu ía para o público fazer ondas para a esquerda e para a direita.

Peixe disse...

ahahahahahahahahahahah Adorei as letras!!!! Agora, se um filho meu cantasse as mesmas... Levava uma sova!! eheh
Beijocas.

de Marte disse...

Curti, curti.

Não te preocupes que isso um dia há-de surgir e quando isso acontecer podes reclamar os louros por teres tido tão brilhante ideia.

Entretanto, podes tentar vender as letras ao Vieira que as pode musicar e gravar. Não precisa de ser para crianças. Para os adolescentes era do melhor. Os Tokyo Hotel iam ver o que era bom pra tosse!