quinta-feira, março 26, 2009

Reportagem Peter of Pan: Meia-maratona de Lisboa (2)

(continuação do post anterior)

Estas minhas compassivas e pias reflexões foram interrompidas pela chegada das 10h30, que anunciava o início da prova. Quis correr, mas era tanta, tanta malta que não conseguia mexer uma perna sem acertar na pessoa que estava imediatamente à minha frente.

Desisti então de competir, tendo-me decidido antes por fazer o que, afinal, todos faziam: passear pela ponte e tirar fotografias à doida. A primeira que tirei após o começo da prova foi a que vem abaixo, que exibe a famosa via de gradeamentos, odiada por 90% dos automobilistas, vá lá saber-se porquê:

Enquanto ocupava o meu tempo com estas actividades culturais, e ouvia outros participantes mandarem-me bocas como "Otário do caraças, pára de tirar fotografias e mexe-te", passaram por mim as habituais aves-raras que se vêem na meia-maratona. Entre outras espécies, contei 4 marmanjos vestidos de bebé (não consegui fotografá-los, infelizmente), um palhaço, um bispo, uma prostituta a acompanhar o bispo (ou então era a Lucrécia Bórgia, não tenho certeza... bom, vai dar à mesma merda!) e até uma banda que maratonava e tocava ao mesmo tempo os instrumentos.

(um aparte: para tirar a foto acima, vi-me obrigado a subir ao separador central da ponte. O problema foi que, ao fazê-lo, senti um straaaaaap: foram os meus boxers que se rasgaram por completo!...)
O meu cromo preferido, contudo, foi este que tive oportunidade de fotografar, e que segue abaixo. Trata-se de um entusiástico adepto sportinguista, que exibia uma belíssima bandeira do clube verde-e-branco, brandindo-a à frente de todos, não se importando com os cantos dos ladrõe... dos lampiões que regozijavam com a vitória na Taça da Liga. Ah, lagarto!!! Assim é que é!

(Outro aparte: não é muito comum, mas também há lagartos de cor! Por "cor", quero dizer pretos!)
Aproveitei também para me armar em suicida (não, não teve nada a ver com a derrota do Sporting no dia anterior) e, sem ser visto pela segurança (ou então não, eles viram-me mas não ligaram nenhuma, devem ter pensado "Olha, mais um maluco que se quer «amandar» daqui! Que se lixe, só espero que não faça barulho quando bater na água!"), galguei as protecções e meti-me mesmo à beirinha da ponte, a despeito das vertigens. Fotografei Lisboa ao longe e depois olhei para o abismo abaixo de mim, e o abismo abaixo de mim devolveu-me o olhar. Sim, esta frase é completamente ripada do grande Friedrich Nietzsche, e eu nunca antes tinha compreendido o seu significado. E continuo sem compreendê-lo, a verdade é essa, mas no futuro gostava de deixar crescer um bigode farfalhudo como o do filósofo alemão.

(conclui amanhã, que isto já está a ficar enorme e agora não tenho pachorra para acabar o post)

7 comentários:

Daniel Silva disse...

Tá muito bom, mesmo. Os melhores requintes de piadas sobre o que vemos, são os mais simples. Tu tens essa capacidade - pelo menos neste post- a dorei ler aquela parte em que dizes que olha, comecei a tirar fotografias e a passear pela ponte que era o que toda a gente fazia, lol, mas curiosamente a foto dos gradeamentos nao penses que é mera tolice. Chega a haver premios por fotos deste tipo... E aquelas tiradas que contas como "Enquanto ocupava o meu tempo com estas actividades culturais, e ouvia outros participantes mandarem-me bocas como "Otário do caraças, pára de tirar fotografias e mexe-te"(...) são mais deliciosas do que quando tentas colocar personagens nos participantes.

Os boxeurs a rasgarem-se (verdade ou nao), o pormenor de teres tido de atravessar metade da ponte para a foto, e uma banda a tocar (Jesus Christ) foram tambem muito interessantes neste teu relato.

Sabes, gosto de te ler, porque na tua suposta acidez, és muito humano, e só foi pena nao te postares a ti mesmo, ja agora aparecria também a tua camisola à Hugo Chavez... e a tua cara claro, que as camisolas nao andam sozinhas. Nada que nao possas pôr num proximo post.

E como te compreendo quando dizes que amanha continuas porque ja nao tens mais pachorra hoje, lol.

Abraços :)

Peter of Pan disse...

O episódio dos boxers aconteceu mesmo.

Não posto fotografias minhas porque sou muito tímido...

Abraço.

Daniela Major disse...

Careca e de bigode deves ficar giro...:D

Ilda disse...

... e barrigudo!

Daniel Silva disse...

Vá lá, please, e agora até tens um desafio bóptimo para aceitar ;)

Peter of Pan disse...

@Daniela Major: que tens tu contra a minha careca?!?!

@Gaja: aquela diz "mata", tu dizes "esfola"...

@Daniel: pá, agradeço sinceramente a simpatia do convite, mas não vou postar fotos minhas aqui. A minha religião não deixa! :)

Ilda disse...

Daniel, pá! Podes ver fotos dele no meu blogue! (Mas não lhe digas que eu te disse, hihihihi)