sábado, setembro 17, 2005

Grandes Combatentes

Já que toda a gente resolveu comentar o debate Carmona X Carrilho, o Peter of Pan também não se vai furtar a fazê-lo. Espanta-me que ainda não tenha sido referido aquilo que penso ser fundamental neste caso: o retorno a uma mitologia heróica que se suspeitava perdida nos tempos modernos.
Passo a explicar: as circunstâncias do embate que opôs Carmona Rodrigues a Manuel Maria Carrilho são herdeiras daqueles tempos gloriosos em que dois arqui-rivais expunham o seu ódio como forma de se auto-motivarem e superarem. Isto é, os dois principais candidatos à Câmara de Lisboa inserem-se na tradição que junta figuras como Aquiles e Heitor, Leónidas e Xerxes, Aníbal e Cipião, César e Vercingétorix, Napoleão e Wellington, Super-Homem e Lex Luthor, Batman e Joker.(1)
O que pretendo dizer com isto é que, finalmente, Portugal tem dois heróis notáveis. Tenho para mim que os últimos conflitos da política portuguesa (2) serviram apenas para preparar o recontro Carmona X Carrilho. Ambos ficarão decerto para a posteridade como os inauguradores de uma nova mentalidade heróica, como os representantes máximos de uma consciência portuguesa que se pretende (ainda mais) bélica, atrevida, mal-educada e javarda. Quais D. Afonso Henriques, Carmona e Carrilho querem a fundação de um novo Portugal. Por mim, digo apenas "Força para ambos". E façam o favor de se destroçar mutuamente pelo caminho...
_____________________________
(1) Algumas destas personagens são reais, outras são fictícias. Sinceramente, não consigo descortinar em qual destes dois grupos se encaixam Carmona e Carrilho! Aceito desde já sugestões...

(2) Estou, evidentemente, a referir-me aos seguintes despiques: Manuel Monteiro X Paulo Portas, Pedro Santana Lopes X Marcelo Rebelo de Sousa, Fernando Gomes X Nuno Cardoso, Narciso Miranda X Manuel Seabra, Alberto João Jardim X Marques Mendes, Mário Soares X Manuel Alegre, Avelino Ferreira Torres X Toda a população de Marco de Canavezes... Todos estes, defendo, não passaram de combates-de-ensaio.

Eterno Entorno (o mitólogo)

2 comentários:

phd nisso e em coisas afins disse...

Como seguidores da tradição que (a)fundou a nossa pequena praia Lusitânia..pergunto-me..qual deles irá bater primeiro em Sampaio (uma vez que todos sabemos que Zé Ritta é o pai)?!

Esquilinho disse...

Hum... e será que também vão bater nas respectivas mães??