segunda-feira, setembro 05, 2005

Katrina vs Osama

Quase a comemorar-se o 4º aniversário do "nine/eleven", surpreendi o chefe da Al-Qaeda num diálogo curioso com a Katrina, essa mulher dada às tempestades. Tudo isto se deu ali numa quinta para os lados de Sernancelhe:

Osama: Allah Akbar!! Então, minha totó? Tiveste uma oportunidade de ouro para ferir no coração o Grande Satã Americano e, em vez disso, pões-te a brincar em Nova Orleães?
Katrina: Não me chateies, hoje doi-me a cabeça. O que querias que fizesse?
Osama: Pá, tanta coisa... Allah Akbar!! Por exemplo, destruir o Fort Knox, espalhar o caos em Wall Street, deitar abaixo o Capitólio ou a Casa Branca...
Katrina: Não me provoques, já disse! Vê lá se me queres ver na fronteira entre o Afeganistão e o Paquistão! Ainda te mando a ti e aos teus amiguinhos talibãs para trás do sol posto...
Osama: Pronto, não te irrites, rapariga. Está bem... confesso que foi divertido ver os cajuns com o rabo entre as pernas! Odeio esses tipos, pois eles unem a estupidez dos americanos aos maneirismos irritantes dos franceses; é o pior dos dois mundos! Allah Akbar!!
Katrina: Olha... posso confessar-te uma coisa?
Osama: Estás à vontade, miúda. Allah Akbar!!
Katrina: Eu fiz aquilo tudo por causa do El Niño. Queria que ele reparasse em mim.
Osama: Allah Akbar!! O que estás para aí a dizer?
Katrina: Nós vivemos um tórrido romance durante alguns anos, mas ultimamente ele não me tem ligado nenhuma. Nem um telefonema, nada... Quer dizer, eu já não peço que me ofereça uma populaçãozeca qualquer do Pacífico Sul, mas umas cabanitas ou uns navios de vez em quando ficariam bem.
Osama: ????? Allah Akbar!! ?????? A tipa passou-se...
Katrina: (lacrimejando) Nos primeiros tempos, era tudo muito bonito: "És tão linda, Katrina! 'Bora aí destruir uma ilhota qualquer no arquipélago da Indonésia.", dizia-me ele naquele sensual sotaque espanhol. Até fazia planos para o futuro, pois desejava mudar radicalmente o clima do planeta - só para me agradar. Mas agora, nada... Sou uma infeliz!
Osama: As gajas são todas iguais. Allah Akbar! E eu a pensar que tinhas destruído Nova Orleães por partilhares da ideologia anti-americana que une pessoas tão ilustres como eu próprio, o Michael Moore ou o Francisco Louçã. Afinal, fizeste tudo aquilo só para te exibires.
Katrina: Andava deprimida! No meu lugar farias o mesmo! Abraça-me, por favor!
Osama: (com um ar enfastiado) ...Allah Akbar!!...

O resto do encontro decorreu num regime de novela à maneira de Barbara Cartland - essa grande escritora -, pelo que me vi na necessidade de fugir dali para fora. Mas julgo ter captado o essencial da conversa. A minha conclusão é: já não se fazem tempestades como antigamente...

Eterno Entorno

2 comentários:

radioapilhas disse...

Gosto da conspiração teológica versão morangos com açúcar. E já notaram que a furacona - tb gosto! - tem um nome eminentemente bolchevique? Coincidências?...

Eterno Entorno disse...

:) Não digas a ninguém, mas eu acho que isto é tudo um plano urdido pelos Illuminati...