terça-feira, junho 23, 2009

Como uma força / Que ninguém pode parar

Cheguei à conclusão de que a minha gaja é uma autêntica força da natureza. Tenho de admiti-lo, por muito que custe à minha masculinidade, a qual também, à sua maneira, é uma força da natureza, que se revela tenebrosa aquando da visualização de jogos lésbicos em sítios pornográficos, amén para a Internet!

A minha gaja é uma força da natureza porque possui uma resistência, uma vitalidade e uma energia ímpares, contra as quais lamentavelmente não consigo competir ou, sequer, acompanhar. Vocês estão a ver aqueles robôs malucos dos filmes? Sim, aqueles que a transístores tantos ficam avariados e com a programação bloqueada, e só lhes dá para rebentar com tudo o que vêem pela frente, de modo indiscriminado?! Pois: a minha gaja é assim! Não, não estou a alegar que ela está avariada (tenho demasiado amor pela minha vida para fazer esse tipo de considerações), o que eu quero dizer é que ela possui aquela característica da one-pointed mind, que se traduz nisto: quando mete uma coisa na cabeça, cá vai alho!, é melhor ninguém se meter no caminho! Infelizmente para mim, quem está quase sempre no caminho entre a minha gaja e a coisa que ela quer, sou eu!...

Exemplo: ela quer que eu ponha creme de barbear logo após ter feito a barba. Eu, como sou muito homem, argumento que pôr creme na cara é coisa de mulheres. Ela não me escuta e avança para mim, qual tractor, pronta a chapar-me com o creme. Resultado: acabo por ficar com o creme na cara.

Outro exemplo: ela quer que eu arrume à força toda os livros que tenho espalhados lá por casa. Eu, como sou muito homem, argumento que organizar os livros é coisa de bibliotecário. Ou de mulheres. Ela não me escuta e desata a mandar os livros pela janela fora. Resultado: tenho de ir à rua buscá-los e arrumá-los.

Ainda outro exemplo: ela quer que eu faça amor após ter feito amor. Eu, como sou muito homem, argumento que “fazer amor” é coisa de gaja e que prefiro dormir. Ela não me escuta e lança o seu delicioso corpo para cima de mim, ao mesmo tempo que me cobre de beijos. Resultado: tenho de fazer amor (oh, que chatice…).

Este género de atitude é frequentemente confundido com teimosia. Levianamente, acrescento. Contudo, no caso citado, isto é, a minha gaja, a confusão tem toda a razão de ser. A “força da natureza” tem por detrás uma assinalável teimosia, uma teimosia que lhe dá ímpeto, como se fosse um combustível que alimenta o fogo. Fogo esse que acaba por ter consequências não apenas físicas, mas também intelectuais. Fisicamente, a “força da natureza”, reconheço, superioriza-se a mim. Enquanto eu acarto com uma cadeira e já fico com os bofes de fora, a minha gaja só revela sinal de cansaço depois de passear com roupeiros, arcas frigoríficas, comigo, mesas com tampo duplo em carvalho maciço, comigo outra vez, armários e todo o seu conjunto de sapatos. É dose!!! E intelectualmente, embora esteja a milhas da minha afamada lucidez, resiste sem nunca dar o braço a torcer, mesmo que a razão, como sempre, esteja do meu lado. Amiudadas vezes, as nossas discussões acabam comigo a ser sufocado com uma almofada, ocasião em que tenho de me render. Ou ir parar ao hospital...

Como conviver com uma pessoa dotada de tal dinamismo, potência e pujança? É complicado, reconheço. Tão complicado como combater uma tempestade, um terramoto, uma erupção vulcânica! Porque por mais evoluído que seja um homem, jamais esse homem estará ao nível de uma força da natureza. A solução é quebrar ou torcer. Sim: um dia, ou acabo com as costas partidas, ou com o braço torcido!

Pará-la, isso, bom, isso está fora de questão... :)

16 comentários:

de Marte disse...

A tua mulher é mesmo uma foça da natureza.
Para constatar quão, basta ler os teus outros posts!
E que dizer??? (primeiro, rir da tua incapacidade máscula de a deter. ahahahahahahahaha ahahahahahaha ahahahahah ahahahah... ok, já está!!!) Bem, posso dizer-te que vai ser sempre assim, e ainda bem, porque gostamos de ler estas coisas que se passam em vossa casa, cuja vilã-fantástica é a mulé que te obriga a depilar e a fazer outras coisas que (tu adoras mas que, para todos os efeitos) odeias! :) é mais à macho se odiares!

Espectacular!

É por ela q eu venho aqui, pah!! Só para poder replicar cá em casa tuditudo!! :P

beijos

Alexandra disse...

Pelo que li,a rapariga merece esta bela declaração de amor subtil e escondida. Tu falas falas mas és homem o suficiente para saberes a sorte que tens;P

Felicidades nas vossas aventuras:D

Pulha Garcia disse...

Tens sorte em ter contigo uma mulher de sangue quente e com dinamismo. Vai fazer maravilhas por manter a vossa relação original. A verdade é que eu acho que nós homens precisamos de ser desafiados ao longo das relações. "Elas" também beneficiam com alguma originalidade mas para nós é fundamental...

Rita disse...

Confessa lá, tu gostas é de levar porrada...
Jokas

Piston disse...

Isto é só para fazer inveja.
Não lhe liguem.

francis disse...

porra pá, revi-me neste post...e a ela também...resumindo estamos fecundados com F grande.

Ilda disse...

"Obrigadinhos", amor! Eu também te amo muito!
Bom mas deixando de pirosices, olha quando chegares tens de por o lixo na rua, arrumar a meia centena de livros e os CDS que tens pelos cantos da casa ...etc, etc... pois se não fosse eu esta casa era uma autentica anarquia! :)))) Não querias mais nada não!
Até loguito ;)!

Peter of Pan disse...

@Marte: pá, se copiares no teu lar as coisas que eu aqui narro, só tenho a lamentar. E muito!!!! :)

@Alexandra: e chamas a isto sorte?!? Será?!?! :)

@Pulha: olha, outro a dizer que tenho sorte... vocês estão exactamente a querer dizer o quê com isso?!

@Rita: está bem, eu confesso: não gosto!

@Piston: não é nada para fazer inveja. É para alguém telefonar à APAV e me salvar!!!!

@Francis: F enorme! Só suporto esta vida por causa do meu Sporting. Errr... hhmmm... quer dizer... olha, gaita!

@Gaja: ora bolas, que fui eu fazer? Despertei o furacão...

Daniel Silva (Lobinho) disse...

este ou outros posts como o da parada gay (lol) são apenas "mais do (muito bom) mesmo" ;)

Nao comento porque só és delicioso a ler-te, e nao a comentar. É como os poemas e fotos: fruo mas raramente comento. Aprecio o teu registo :)

Grande abraço :) e continua bem disposto como sempre :)

Maldonado disse...

É a lei dos contrários no seu máximo expoente... ;)

papagaio disse...

por que nao admites:la em casa é ela que veste calçassssssssssss
eheheh

Rafeiro Perfumado disse...

Já pensaste em fazer queixa dela à polícia? Isso do creme parece-me claramente violência doméstica!

Abraço!

francis disse...

só com o título fiquei nervoso...lembrei-me da nelly...vou apanhar ar e já volto...

Peter of Pan disse...

@Daniel: mais uma vez, a tua simpatia deixa-me sem palavras...

@Maldonado: sim, é. Eu sou o certo, ela é o meu contrário...

@Papagaio: sim, veste. E que bem que lhe ficam, ali, apertadinhas.... Hmmm...

@Rafeiro: já pensei, já. Mas ela diz que me faz pior se eu levar a queixa avante!

@Francis: pá, não acho piada nenhuma à Nelly. A não ser quando ela diz, com aquela vozinha irritante, "conheces?".

Ninja! disse...

Amouxa e aguenta... E bem-vindo ao clube. :P

Peter of Pan disse...

Também tu, Ninja?!?!