segunda-feira, junho 22, 2009

De gays e de praias

No sábado passado estive para me deslocar a Lisboa com a intenção de participar na marcha gay, em apoio e solidariedade a tod@s aquel@s que são discriminados por gostarem de fazer coisas feias com pessoas do mesmo sexo. Porém, achei que estava demasiado calor para paneleirices e optei por ficar em casa a fazer coisas muito másculas, como limpar o pó, lavar o chão, arrumar a loiça e ver o concerto do Tony Carreira pela televisão. Pronto, está bem, se eu quisesse mesmo, poderia ter ido à marcha gay sem me preocupar com o calor. Poderia, por exemplo, ter lá ido todo nu, é verdade, mas (e isto é uma opinião muito minha, sei lá!), considero que ir todo nu para o meio de um desfile de larilonços é capaz de não ser lá grande ideia...

No domingo, por forma a combater o aquecimento individual, ou seja, o meu, resolvi dar um pulo à praia. E tive uma experiência kármica que me puniu pela minha ausência na defesa da causa gay que teve lugar no dia anterior. Aliás, aproveito para dizer que o cabrão do karma é um ganda mariconço...

Isto porque estreei uns calções de banho novos. E os calções de banho novos têm, digamos, um ar um tanto ou quanto suspeito, para o qual contribuem as corzinhas (azulinhos, amarelinhos, branquinhos, cinzentinhos...) e os motivos (alforrecazinhas, peixinhos, estrelinhas do marzinho...). Mas foram baratos e oferecidos pela minha sogra, portanto uso-os, além de que estava mesmo a precisar de uns calções de banho. E é verdade que estes fizeram um sucesso tremendo, a questão é que o foi com quem não devia! Quando procurei tomar o meu primeiro banho de água salgada do dia, encaminharam-se para mim dois jovens e robustos boiolas, que lançaram logo:

Boiola 1: Olá, marinheiro! Tens uns calções muito giros!
Boiola 2: Olá. Estiveste ontem na marcha gay? Podia jurar que vi alguém vestido com esses mesmos calções...

Perceberam agora porque é que acusei o karma de ser mariconço, certo? Eu não fui à marcha gay de sábado, e como resultado fui punido por estas duas borboletazinhas no domingo! Era como se o karma estivesse a dizer-me "Ai tu és isso? Não vais apoiar a nobre causa da igualdade de direitos só porque tens calorzinho, é?! Então amanhã quando fores à praia vais ver o que eu te faço. E já agora aproveito para dizer que tens um rabinho todo bom!".

E a punição não se ficou por aqui! Era muito bom se os dois bichinhas se limitassem a fazer apenas aqueles comentários parvos. Mas não, o karma quis ser mesmo cabrãozorro e para mostrá-lo, quando eu me lancei à agua, na tentativa de deixar para trás o casalinho de jogadores de basket, o karma impeliu-os a seguirem-me. Evidentemente, quando eu reparei que estava a ser seguido por ambos, temi pelo meu traseiro e vá de nadar o mais que pude. Enquanto nadava, ainda ouvi, por parte de quem também se encontrava na água, coisas como "Que raios, aquele tipo que está ali a ser perseguido por outros dois rapazes tem uns calções para lá de maricas!". Este tipo de bocas irritava-me, mas em simultâneo dava-me alento para continuar a nadar; o problema é que os dois frufrus eram melhores nadadores do que eu, por isso tive de alterar a estratégia e regressar a terra. Quando os meus pés voltaram a sentir os grãos de areia, corri feito maluco, e foi isso que me safou, porque se eu normalmente sou rápido, quando se trata de fugir de homossexuais obcecados pelos meus calções o meu dar à sola faz o Usain Bolt parecer uma tartaruga! Depois, quando me apercebi já ter uma distância considerável, regressei à minha toalha e cobri com ela os calções de aspecto gay, impedindo assim que fosse reconhecido! Fintei deste modo o par de margaridazinhas e o sacana do karma, e pude aproveitar o resto da praia como deve ser. E regressei a casa virgem de cu...

Para finalizar, quero só dizer duas coisinhas:

1 - É na praia que os homens portugueses revelam o maior da sua portugalidade. Ele é o lixo para o chão, ele é a barriga descomunal, ele é o bigode farfalhudo, ele é as caralhadas na frente da mulher e dos filhos, ele é o jornal A Bola aberto, ele é o cheiro a entremeada a sair do saco com a comida. Só há uma diferença: o português, na praia, não cospe para o chão. Mas, em compensação, mija na água.

2 - Juro que da próxima vez que houver uma marcha gay em Lisboa, eu apareço! E até levo as minhas calças roxas de lycra! E danço em cima das colunas! Vamos lá a ver se o cabrão do karma me apanha outra vez!!!!

9 comentários:

Alexandra disse...

Acho que comprometes a tua virgindade anal com a tua cena de enganares o karma.
;)

Ilda disse...

Ahahahahahaha! Se não te conhecesse até acreditava...

Maldonado disse...

1. Realmente o nosso povo revela uma falta de educação e de civismo nas nossas praias, mas se calhar nas de Cuba ou do Brasil comporta-se como se fosse mais civilizado que os habitantes locais...

2. Deus castiga! :))
Da próxima terás que ir ao Pride para te livrares desse mau Karma... ;)

francis disse...

eu curto mesmo é a palavra Boiola.

Ninja! disse...

Hihihi! Está boa, gostei de ler! :D
E nem de propósito, a verificação de palavras diz "yami"... Também deve ter gostado dos teus calções!

papagaio disse...

soberbo.... e macho que é macho nao usa calçoes usa tanga ou nao vez o grandioso icone algarvio zeze camarinha a passear pelas dunas de portimao???

Peter of Pan disse...

@Alexandra: pá, não me rogues pragas tu também!!!

@Gaja: o que queres dizer com isso?!

@Maldonado: da próxima vez, vou mesmo!

@Francis: é daquelas coisas que os brasileiros sabem fazer melhor do que os portugueses: inventar palavras com som engraçado.

@Ninja: o verificador de palavras está comungado com o karma, deve ser isso.

@Papagaio: os meus olhos não são dignos o suficiente para olhar a tanga do Zezé Camarinha!

de Marte disse...

eu até vou à parada, e fico parada só para te ver dançar e coiso e fugir dos lilis que te perseguirem. E depois podemos ver a luta na lama entre a tua miuda e os frufrus! :) Place your bets!

Peter of Pan disse...

Marte: és cruel. És muito cruel...