terça-feira, junho 30, 2009

Dos Amigos

Ninguém neste mundo é uma ilha, a não ser aqueles gajos que a dada altura das suas vidas endoidecem, largam tudo e todos e passam a levar uma vida de eremitas numa floresta, montanha ou ilha deserta distantes. A esses gajos, além de "doidos", eu costumo chamar "sortudos", mas o habitual é precisarmos uns dos outros e temermos a simples ideia de passarmos a nossa vida sozinhos, sem ninguém ao lado. Como dizia Aristóteles, esse grande vulto do pensamento ocidental, e que nas horas vagas jogava futebol com o exército de Alexandre, o Grande, sempre na posição de ponta-de-lança (estatísticas da época dão conta que o filósofo marcou, numa só temporada, 36 golos! É obra! Quase tão bom quanto o Jardel, e ainda por cima escrevia bons livros), "um homem que quer viver fora da sociedade ou é um deus, ou é uma besta!". Pronto, é verdade que ele não teceu uma única linha sobre as bestas que vivem na sociedade, mas penso que estão a captar a ideia...

E a ideia é a de que a nossa vida, enquanto seres humanos, faz mais sentido em relação. Ou, para utilizar a terminologia de uma besta, Martin Heidegger, mas mais famosa pela sua presença em Jean Paul Sartre (esse já não era uma besta, mas em compensação tinha os olhos todos tortos!), o homem é inevitavelmente um ser-com-os-outros.

Ora, entre estes "outros" com quem o homem tem necessariamente de se relacionar, há um grupo especial: o grupo dos "amigos". Mas o que é um amigo? Para o José Castelo Branco, um amigo é um gajo que o penetre insaciavelmente durante um bom par de horas, sem despentar o cabelo. Intuitivamente, porém, sabemos que um amigo não é isto. Aliás, se algum dos meus amigos esboçasse sequer tentar penetrar-me, deixaria de ser meu amigo logo a seguir. E também deixaria de pertencer ao mundo dos vivos...

Eu não sei o que é ser amigo. Mas, como avançava o Daniel, um dos leitores habituais deste blogue, num dos comentários ao post de ontem, eu tenho ar de ser um bom amigo. E sou-o! E tenho também bons amigos, embora a maior parte deles já não veja há muuuuito tempo, há demasiado tempo, para ser sincero.

Só que essa é uma das coisas fascinantes da amizade: por mais que o tempo passe, a amizade persiste. Eu sei que se encontrar qualquer uma das pessoas que tenho por amigas, não importa o tempo que passou desde a última vez que nos vimos, a amizade manter-se-á. O Jotapê, que eu conheço há mais de 20 anos, e não vejo vai para 5, pode até chegar junto de mim com um rancho de filhos, uma esposa que parece o Quasímodo, uma t-shirt a dizer "Benfica = Glorioso" e uma bandeirinha do CDS/PP, pois pode, mas eu considerá-lo-ei sempre meu amigo.

Porque os amigos são aquelas pessoas que nós tratamos de maneira diferente. Um gajo qualquer que se chegasse junto de mim com o "lastro" que acabei de atribuir ao Jotapê levava logo um rotativo à Chuck Norris no meio dos queixos. Mas eu nunca faria isso a um amigo. Um amigo pode dizer-nos as coisas mais parvas, pode aparecer-nos à frente com o ar mais tresloucado (uuuui, as vezes que eu fiz isso... tipo, todos os dias!), mas será sempre nosso amigo. E, ao mesmo tempo, um amigo é aquela pessoa que tem para nós um tacto especial, uma atitude que não esperávamos, uma palavra que - à falta de melhor termo - só se pode caracterizar como "palavra amiga".

Um amigo é, pois, aquele tipo que, embora esteja casado e a morar longe como os tomates, tem consideração suficiente por nós para, todos os dias, ou quase, nos mandar e-mails com fotos e vídeos de gajas boas todas descascadas a apanhar com um tarolo! (Obrigado, Hugo!!! Manda mais!!!)

Um amigo é, pois, aquela pessoa que, embora tendo uma vida mais difícil e cheia de obstáculos do que a nossa, quando nos vê em baixo não diz "Foda-se, mariquinhas de merda!" e sim "Vá lá, anima, isso há-de passar, o Sporting voltará a ser campeão, vais ver!"

Um amigo é, pois, aquele indivíduo que, quando vê a nossa prima ter sexo com o regimento de bombeiros da Arrentela, dá-nos uma palmadinha no ombro e comenta, em lugar de um "Pá, a tua prima é uma ganda puta", um mais simpático "Pá, a tua prima tem um belo par de tetas!"

Os amigos são tudo isto e muito mais e eu estou grato por ter bons amigos. E vocês?!

17 comentários:

francis disse...

eu tenho um grupo coeso de amigos há uns valentes anos, já nos conhecemos de gingeira, sabemos tudo uns dos outros...a amizade é um investimento do caraças, hoje em dia, e se calhar pela idade, já não me vejo a arranjar mais amigos dos bons mesmo.


ps: Um amigo é, pois, aquele indivíduo que, quando vê a nossa prima ter sexo com o regimento de bombeiros da Arrentela, dá-nos uma palmadinha no ombro e comenta, em lugar de um "Pá, a tua prima é uma ganda puta", um mais simpático "Pá, a tua prima tem um belo par de tetas!" muito bom pá, muito bom...

Alexandra disse...

Se eu disser que concordo plenamente e gostei muito do teu post mesmo que possa parecer que estás um pouco maricas...há problema de eu aparentar que sou também um poço de lamechices?

Bem,agora a falar a sério,são amigos desses que uma pessoa nunca dispensa;)
E olha,quanto ao comentário do meu último post,acredita que me ri a bandeiras despregadas quando li o que escreveste e que quando ouvi a música a coisa "acalmou", nervosamente falando.Vou seguir o teu conselho quando tiver oportunidade de chegar a Lisboa e ter a desculpa do vou-sair-com-amigos-festejar-as-mini-férias(só porque sozinha nunca tem piada).

Peter of Pan disse...

@Francis: concordo. Com o tempo, parece ser mais difícil arranjar amigos dos bons. Em compensação, a internet está cada vez com mais gajas boas!

@Alexandra: pá, não vejo mariquice nenhuma no meu post, tirando o comentário que fiz sobre o Castelo Branco. De resto, só falei de coisas "à macho"! :)

Alexandra disse...

Eh pá,não há mal nenhum confessares que até tens aí uma veiazinha mariquinhas e lamechas,uma pessoa não te vai gozar fervorosamente por isso.Só um bocado vá,que estas coisas nunca podem passar despercebidas;)
E olha,só por causa disso,até te digo que estou ofendida por não teres também falado da bandeirola do partido Monárquico.Foi altamente despropositada a tua falta de sabedoria política neste aspecto.


P.S. - Se calhar até não foi,porque uma pessoa nunca goza com coisas inexistentes não é?Pronto então,retiro o que disse.(Não sei porquê ando alongada em comentários,tenho de cortar orçamentos rapidamente)

Daniela Major disse...

Eu tenho muitos conhecidos, mas poucos amigos, MAS estes últimos são bons.
São sem dúvida uma coisa maravilhosa. E o texto estava muito emotivo...embora gosto mais quando sonhas com o Ricky Martin todo nu!

S* disse...

Nao tenho muitos amigos. Sou um bocado pró anti-sociavel. :(

Anónimo disse...

ás vezes vejo os teus posts e falas sempre á macho mas perec que é tipo brincadeira. nao estou a dizer que nao o sejas, mas enfatizas esse lado por ironia, digo eu.

por acaso gostei de ler este post onde mostras que nao és nenhum tolinho, mas fica sempre a duvida em realçao aos outros todos: que fareias tu se tivesses amigos homossexuais? e sabes que quem se diz muito macho é porque ha algum problema? as pessoas sao como sao nao tem de mostrar nem provar nada. sejam "machos" ou homossexuais. o que interessa é que sao pessoas. A mim quem me chamasse "fêmea" levava um par de estalos.

Cristina S.

Rita disse...

Ó p'ra mim a fazer de "amigo":
- Então ainda estás constipadinho Ó Florzinha de estufa?
Jokas

Peter of Pan disse...

@Alexandra: mas eu não tenho nenhuma veiazinha mariquinhas. E se tivesse, cortava-a! Quanto ao partido monárquico: eu gozo muitas vezes com coisas inexistentes, mas nunca me lembrei do PPM. Um dia, quem sabe...

@Daniela: mas é isso: os amigos medem-se pela qualidade, não pela quantidade. E PAREM DE DIZER QUE O TEXTO ESTAVA EMOTIVO, QUE RAIOS!!!!

@S*: bom, e eu sou totalmente misantropo, mas ainda assim tenho amigos (sorte deles!).

@Cristina S.: não tenho por hábito justificar os meus textos, mas já que tocaste nesse ponto, cá vai: é claro que é ironia! Pessoalmente, apesar de hetero, sempre estive do lado da causa gay e tenho amigos (e amigas) homossexuais. A amizade, essa, não liga a tendências sexuais. Pá, se eu até me dou com benfiquistas, iria agora discriminar pessoas só por causa da orientação sexual?!?!

@Rita: ó minha ganda porcazinha, por acaso até estou melhor, muito obrigado!!! :)

Ilda disse...

Um dia disseram-me que é preciso "ter tempo para ter bons amigos"... Tem de haver dedicação nessa amizade. Eu tenho muitos conhecidos mas tenho poucos amigos, mas os que tenho são "à seria" e isso na verdade é-me mais importante que a quantidade.

de Marte disse...

Pan,

Andas a tomar a medicação certa, mas cuidado com estes efeitos secundários que tendem tanto para o sentimento...

)0( disse...

A amizade é um investimento. Recíproco.

(Uau! Que cliché! Mas é verdade, verdadinha..)

Espero que estejas melhor, porque no sábado não há desculpa para faltares.

Casemiro dos Plásticos disse...

Muito obrigado pelas visitas e comentários, gostei do blog. Interessante, parabéns.
abraço

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Antes de mais obrigado pela referência. Sim, é verdade que nao deixei de te ler, mas como penso ja ter dito tenho dificuldade em comentar posts como os teus (que são para consumo, mais nada) e os de poesia (que são também para consumo). Ultimamente tenho deixado uma ou outra palavra, mas só porque tem dado ;)

Essa do teu amigo Hugo, se soubesses os videos que recebo por ficheiro em mail de um amigo... tipo hardcore mesmo lol... e nao sao fotos delas. sao elas em acçao...;)

Gostei MUITO do post. sabes, penso que estás numa "fase" mais madura (ok, pronto dá-me lá um par de estalos) e a forma simultaneamente brincalhona, divertida, irónica mas com fundo de verdade (neste caso à superfície ao falares da Amizade) ;) está simplesmente divinal.

A frase que citaste ainda termina assim. "(...) Deus ou uma Besta mas nunca um ser humano".

Grande abraço. ès imperdivel, Peter of Pan :)

Piston disse...

Diz à tua prima que há mais corporações a precisar de motivação por esse país fora.

Bruce disse...

Descobri aqui o teu blog pelo amigo Daniel e devo dizer que já me ri bastante com algumas das tuas mensagens!

Tens muita razão no que dizes, infelizmente esse tipo de amigos é escasso.

Tenho alguns que posso considerar para qualquer ocasião, mas já não os vejo faz algum tempo, quiçá demasiado...

Peter of Pan disse...

@Gaja: Tu não precisas de amigos, eu basto! :)

@Marte: também tu?!? Mas qual sentimentalismo, pá?!?!

@Casemiro: obrigado e não tens de quê.

@Daniel: pá, passa o meu e-mail a esse teu amigo!!!!! E recuso-me a aceitar que os meus posts estão mais maduros, que mania, hã?!?!?!

@Piston: não te preocupes, ela também sabe!

@Bruce: bem-vindo. Como já disse atrás, não é a quantidade que importa. Prefiro um amigo verdadeiro a mil falsos...