sexta-feira, junho 19, 2009

A propósito da morte de Carlos Candal

Faleceu ontem Carlos Candal, militante socialista e fundador do PS. Normalmente, quando um político morre, há em mim uma expressão de regozijo. E quando esse político era do PS, o regozijo redobra-se. E quando esse político era também advogado, então o meu regozijo alcança níveis próximos da alegria que teria se um dia o Sporting conquistasse a Liga dos Campeões.

No entanto, a morte de Carlos Candal entristeceu-me. Eu possuía por Candal uma certa simpatia, e esse é um sentimento que nutro por pouquíssimos actores da política portuguesa. Para terem uma ideia, o número de políticos por quem tenho alguma, vá lá, consideração, deve ser menor do que o número de pessoas não corruptas a trabalhar na SAD do FC Porto! Isto já diz tudo, creio eu...

Estávamos em meados da década de 90 do século passado quando tive o meu primeiro contacto com o senhor Carlos Candal, a propósito de um libelo que este lançou, sugestivamente intitulado "Manifesto Anti-Portas". Ganhou logo ali o meu respeito, respeito que veio a crescer mais ainda aquando de uma entrevista dada por Candal a um órgão de comunicação social, e na qual, interpelado a dar a sua opinião sobre Paulo Portas, respondeu, num jeito agressivo que se tornou imagem de marca, simplesmente isto (e cito de memória): "O Portas??!! Esse maricas??!!"

Pronto! Com estas singelas palavras, tornava-se claro que, pela minha parte, Candal já tinha assegurado um lugar no panteão da eminência política. Lembro-me de repetir aquela acusação sempre que me vinham falar do Portas. E repetia-a naquele tom tão castiço em que Candal a proferiu, embora a minha imitação nunca fizesse jus ao original. Fui até mais longe: na parede do meu quarto, era ainda eu um consciente teenager (a inconsciência veio depois com a entrada na idade adulta), coloquei, ao lado de posters da Sharon Stone e da Steffi Graf (ícones dos anos 90, para quem não se lembra), um cartaz com aquele mantra "O Portas??!! Esse maricas??!!", o qual fazia incrível sucesso em ocasiões de festa. E num teste de Direito no então 11º ano, recordo-me de rematar, numa resposta a uma pergunta já não me lembro sobre quê, mas que julgo ter tido alguma coisa a ver com a Constituição Portuguesa, com um "e nunca nos devemos esquecer das sábias palavras do deputado ao Parlamento Europeu, Carlos Candal: "O Portas??!! Esse maricas??!!". Tenho a certeza que foi graças a esta citação que consegui tirar boa nota no raio da prova...

Passei, pois, a ver a figura de Carlos Candal com alguma reverência. Daí que tenha, agora, pena de vê-lo partir. Mas, verdade seja dita, a mensagem de um homem não se apaga com a partida desse homem. Sobrevive-lhe, erigida em monumento na memória dos que ficam. No que me toca, a mensagem de Candal ficará comigo para todo o sempre. Nunca, jamais, esquecerei aquelas palavras que me mostraram que sim, podemos dizer coisas acertadas em política! Sim, podemos mandar abaixo os adversários políticos sem receio da modinha do politicamente correcto! Sim, podemos fazer chafurdar o Paulo Portas no ridículo! Sim, nós podemos!!!!! (Ó Obama, desculpa, empolguei-me) E sim, podemos dizer que o Portas é um ganda mariconço! Esta é a mensagem de Carlos Candal. Recordá-la é a melhor homenagem que se lhe pode prestar.

E quanto ao Paulo Portas?

"O Portas??!! Esse maricas??!!"

Obrigado, Carlos Candal!

4 comentários:

francis disse...

o gajo tinha umas saídas boas, mas era um ganda maluco.

Piston disse...

Realmente isto é uma peça a guardar:
http://vmarquivos.blogs.sapo.pt/arquivo/482393.html

Ninja! disse...

Hehe, sem dúvida. Mas o tipo era mesmo meio doido... xD

Peter of Pan disse...

@Francis: era, não era?!

@Piston: iiihhhh, valeu! Obrigado!

@Ninja: eu era até capaz de dizer que o gajo era doido por inteiro, vê lá só!