segunda-feira, julho 06, 2009

Apreciação isenta acerca do novo programa do Herman

Para que conste: na minha opinião, o Herman José foi o maior génio humorístico que este país jamais teve! O Herman está para o humor português tal como o Maradona está para o futebol: nunca se viu antes nem, provavelmente, nunca se verá ninguém depois com tanto talento. Programas como O Tal Canal, Humor de Perdição, Hermanias, Casino Royale ou as celebrações de ano novo como o excelente Crime na Pensão Estrelinha e o não tão bom, mas ainda assim com piada, Hermanias Especial fazem parte do reduzido panteão de apontamentos cómicos produzidos em Portugal que são realmente engraçados, ao contrário daquelas pastilhadas com inspiração no teatro de revista, cujo conceito de humor se resumia a gritar alto, fazer quadras com rimas estúpidas e a peidar/arrotar. No meio do deserto que era a comédia à portuguesa, Herman foi um oásis.

Até ele próprio se transformar num deserto de ideias. Em meados dos anos 90, o génio rendeu-se aos meios mais populistas e começou a apresentar concursos e programas de variedades. Sim, concordo que a primeira versão da Roda da Sorte (a da RTP, não a reciclada pela SIC) era uma delirante desbunda, mas estopadas como Parabéns e Com a Verdade m'Enganas começaram a revelar outro Herman, um Herman já gasto, desactualizado, repetitivo e - é preciso dizê-lo - chato! Começara a decadência, somente atenuada pela excepção que é a Herman Enciclopédia, programa muito à frente do seu tempo e que só hoje começa a ser devidamente apreciada (por falar nisso, acho que está para sair o dvd da série... é aproveitar, é aproveitar!).

Porém, esta excepção tratou-se disso mesmo: uma excepção. A queda do verdadeiro artista continuou, ajudada por uma transferência nada benéfica para a SIC. Foi aqui que Herman se enterrou definitivamente: Herman SIC, programa construído à semelhança da porcaria que era o Parabéns, revelou o pior do Herman: exibicionista, parvinho e totalmente irrelevante, características agravadas pela adesão ao establishment, contrariamente ao que sucedia com o iconoclasta Herman de antanho. Depois veio a obra de sketches Hora H, que se pensava constituir uma lufada de ar fresco semelhante à da Herman Enciclopédia mas que na verdade não fez mais que antecipar o calvário: Herman estava acabado. De génio do humor passara, no espaço de década e meia, a performer triste, vivendo da sua gloriosa história mas impossibilitado de se reiventar, e quando isto sucede, é verdadeiramente o fim. Nem nova série da Roda da Sorte nem um prime-time com músicas da treta o salvou...

E agora nova transferência, no intuito de ressuscitar o cadáver. Desta feita, para a TVI. E novo programa: Nasci p'ra Cantar. E nova merda, novo espalhanço, novo tiro no pé. Aquilo é uma porcaria de tal modo porca que até dá vontade de chorar. Eu juro que tentei ver a coisa, mas não deu. Não deu mesmo, porque é demasiado má. Do início sofrível em regime stand-up comedy que não faz mais senão demonstar que o Herman de hoje é um Herman que, mais que dizer piadas, revive momentos antigos, à semelhança de um idoso num lar ou de um adepto do Benfica, até à apresentação do conteúdo do programa propriamente dito (gente desconhecida a imitar artistas conhecidos... onde é que eu já vi isto?), tudo é inacreditavelmente mau, forçado, enfadonho e sem piada. Este Herman não é o Herman que conheci, o Herman com que cresci (abstenham-se de piadas pedófilas, sim?!), o Herman que admirei. Isto que agora vem passando nos nossos televisores é uma imitação barata, um clone aloirado e de mau gosto desse grande, enorme artista que foi Herman José. É como termos, lado a lado, a Elizabeth Taylor divinal e belíssima de filmes como Cleópatra e Gata em Telhado de Zinco Quente com a Elizabeth Taylor engelhada e zombie dos nossos dias. Por muito que custe, embora saibamos que ambas são a mesma pessoa, temos de admitir que a última pouco tem a ver com a primeira e é só e nada mais do que uma mera sombra desta.

O Herman está, pois, acabado! Nasci p'ra Cantar é uma chonice do caraças. E a TVI a continuar assim, se algum dia for adquirida pela PT eu juro que deixo de pagar impostos!

P.S.: ponto positivo do programa do Herman de ontem: os dois tipos (foram logo os primeiros) que imitaram o Tony Carreira. Pronto, eles não imitaram lá muito bem, mas as perucas que usaram imitaram na perfeição a peruca do Tony!

13 comentários:

Bruce disse...

Apesar de não ter visto o novo programa do Herman na tvi, concordo plenamente com tudo o que dizes acerca do seu caminho para o estrelato e consequente decadência para uma mediocridade que magoa os olhos.

francis disse...

Não faço a mais pequena ideia do que falas...o Herman voltou à TV ? TVI ?


ps: herman foi o maior sem dúvida nenhuma.

Leandro de Sousa Bastos disse...

Pena é ver que a imagem de referência que o Herman passa para juventude de hoje é essa do tal calvário! Depois ouço coisas como:
"o Herman não tem piada nenhuma!";
"o Herman é um azeiteiro";
"o Herman isto e aquilo...";

e custa-me ouvir isso, sabendo que mesmo não atravessando a sua história na totalidade, só apartir do Herman Zap, apanhei um dos melhores momentos de humor na televisão portuguesa, Herman Enciclopédia... Um humor refrescante na época.

E malta hoje em dia não conhece, não sabe... e só diz asneiras!

Peter of Pan disse...

@Bruce: é triste, é só o que tenho a dizer...

@Francis: O Herman foi contratado pela TVI, sim. E tem um novo programa, infelizmente.

@Leandro: sim, isso dá pena. Dá pena o Herman estar a dar cabo do seu próprio historial, que é excelente.

Pulha Garcia disse...

Concordo em geral. Tal como tu, sempre tive um enorme respeito e até admiração pelo Herman (é um daqueles que quando morrer vai ser admirado universalmente mas até lá, paradoxalmente, irá ter que sofrer...estranho mundo o nosso).

Acho é que o Herman é bom sobretudo na interpretação e representação. A maior parte dos textos verdadeiramente engraçados nunca foram escritos por ele e jamais foi apresentador. O problema é quando a malta das televisões e o próprio não percebem isto.

O Magnifico Gino disse...

A cabeleira das "Amy" também não estava mal... O apresentador, enfim, ainda não se tocou.

Anónimo disse...

mas os mais de 41% de share já ninguém lhe tira !

Ilda disse...

Os portugueses tem um instinto de rebanho muito acentuado... e estão habituados a digerir muita porcaria, começa pelo governo que temos. Por isso que muita gente tenha visto o programa do Herman não é de estranhar! É uma pena chegado onde chegou, mas o guito faz falta para sustentar a rica vida que ele não quer deixar de ter, por isso sujeita-se...
Quanto a nós temos sempre a opção de mudar de canal!

S* disse...

POr acaso tenho pena do senhor. Tinha um futuro tão promissor, foi uma estrela televisiva e agora... olha...

Peter of Pan disse...

@Pulha: acho que não tens razão. O Herman era um óptimo escritor (todos os sketches d'O Tal Canal foram feitos por ele). Penso é que a inspiração se foi perdendo ao longo do tempo, e também não conseguiu, nos últimos anos, uma entourage capaz de extrair o melhor do Herman.

@Magnífico Gino: perdi as Amy...

@Anónimo: nem o salário, mas isso não quer dizer nada. O Tony Carreira também vende muitos discos...

@Gaja: "instinto de rebanho"?!?!? Ouve lá, larga o Nietzsche!!!! :)

@S*: dele, não tenho pena. Tenho é pena de mim, condenado a não conseguir rir com as figuras do Herman, ao contrário do que acontecia antigamente.

Daniela Major disse...

Eu por acaso vi o programa e ok há umas piadas secas, mas também acho que agora é moda dizer-se mal do Herman

Peter of Pan disse...

Também está na moda dizer mal do Sócrates... lá por ser moda, não quer dizer que não haja razão em se dizer mal.

Maldonado disse...

Não vi esse programa, mas acho que o Herman, apesar de ser talentoso, está a ser ostracizado pela sociedade e pelos Media por causa do Processo Casa Pia.