sexta-feira, janeiro 29, 2010

Lúcidos comentários sobre Biffy Clyro, a banda

Estava eu muito bem no trabalho quando me lembrei de sacar o último disco da banda escocesa Biffy Clyro, que segundo os críticos, esses palhaços, praticam o chamado rock alternativo. A razão por que saquei o disco prende-se com, aqui há umas valentes semanas, ter visto o videoclip da música That Golden Rule no VH1 e ter ficado bastante agradado, mas não o suficiente para arrotar 17€ na Fnac ou noutra loja qualquer para comprar o cd. Vai daí, google.com e pumbas, nem meia hora depois já tinha o disco inteiro em mãos, mais propriamente em bits. Os cabrões dos panascas que pertencem à SPA devem agora estar todos a espumar da boca, mas antes de me acusarem de pirataria e mais não sei o quê, é melhor passarem por minha casa e contarem os cds originais que lá tenho. Se, passados dois dias, altura em que devem ir mais ou menos a meio da minha colecção, ainda acharem que sou pirata, prometo que pago os direitos de autor devidos aos Biffy Clyro...

Bom, mas vamos aos Biffy Clyro propriamente ditos e ao disco Only Revolutions. "Rock alternativo", dizem os críticos... pois eu, que não sou crítico (felizmente, nasci com um cérebro, dois tomates e um falo), acho que os Biffy Clyro não se decidem se tocam rock panasca ou pop musculado. Aquilo anda ali em cima do muro, não cai nem muito para um lado nem para o outro. É uma banda que não resolveu ainda sair do armário, pronto. E o disco, bem, o disco compõe-se de dez músicas, das quais se aproveitam umas 3, no máximo 4, com destaque óbvio para a That Golden Rule. Conclusão: se eu tivesse dado 17 € por isto, estaria a ser completamente roubado! Mais vale tirar o álbum da net, ouvi-lo e deitar fora o que não presta, que é o disco quase todo. Aliás, eu é que devia ser ressarcido por ter perdido tanto tempo a escutar uma coisa que é maioritariamente lixo. E agora, Sociedade Portuguesa de Autores?! Como é?!

Se há aqui, entre os leitores desde blogue, fãs da banda, apresento desde já as minhas desculpas. Mas não é má vontade minha, o som é que não entra. Se as guitarras estivessem mais distorcidas, se a voz do bacano fosse menos mariquinhas, ou se fosse mariquinhas com estilo (olá, vocalista dos Muse!), talvez eu gostasse mais daquilo que eles fazem. Assim como está, não dá! Prefiro gastar o meu dinheirinho a mandar vir pela e-Bay cds de viking/black metal escandinavo, que ganho mais com isso. E os Biffy Clyro que se f... (também, com um nome destes...)

Bom fim-de-semana e saquem muitos discos, nem que seja só para chatear as putas das editoras que querem ganhar dinheiro fácil à custa dos amantes de música.

2 comentários:

CP disse...

Tenho exactamente esse problema com a maioria dos filmes. por isso ´que prefiro sacá-los e, gostando do que vi, comprá-los em DVD do que dar 5 euros para ficar sentado numa sala com miudagem imbecil a apanhar a seca de uma vida.

P.S.- 100% de acordo quanto a vozes amaricadas.

Trinca Espinhas disse...

Pah, vê-se logo com o golden rule que é música para mariquinhas. Não sei como te iludiste. Ainda para mais um gajo que ouve viking metal.