terça-feira, julho 12, 2005

Confissões ....de Lúcifer

«Os humanos, tal como Kant (aquele boche masturbador crónico com cara de vómito) apontou, estão presos dentro dos limites do tempo e do espaço . Formas de apreensão, a gramática de compreensão e tudo isso.(...) A pergunta "o que existia antes da Criação?" não tem qualquer significado. O Tempo é uma propriedade da Criação, sendo que antes da Criação não existia um antes da Criação. O que existia era o Velhote que espreitava perpetuamente pelo Seu próprio e poderoso esfíncter, tentando descobrir que diacho é que Ele mesmo era. O Seu grande problema era que não existia nenhuma forma de Se distinguir a Si mesmo do Nada. Quando se é Tudo também se é Nada. »
in Eu, Lúcifer, por Glen Duncan
Leitura NÃO recomendada por
Hildegarda (porteira do Bingo)

6 comentários:

Compota disse...

"Eu sou aquele que sou!" faz bem mais sentido do que "só sei que nada sei!" Esta é a grande diferença entre a existência de Deus e o nada. Deus não é um paradoxo.

jmnk disse...

ou então, existem logo posso Ser. :)

Eterno Entorno disse...

Claro que Deus não é um paradoxo. Os paradoxos existem, Deus nem por isso... :)

Ginja disse...

Compota, take it easy. Aqui a malta gosta de abalar a estabilidade das ideias. Esse é o objectivo principal do blog . Nota à margem... pessoalmente prefiro paradoxos a redundâncias .

Joguito disse...

Deus não é redundante! Com quem mais se pode gozar assim? Pronto pronto sem contar com o Alberto João Jardim, o Zézé Camarinha, a Cinha Jardim, a Júlia Pinheiro, o José Castelo Branco(...)

CP disse...

Se Deus existe ou não, sinceramente não sei mas espero que alguém tenha um óptimo sentido de humor senão 'tamos tramados!