domingo, outubro 09, 2005

Democracia, esse carnaval

Parte final do discurso de José Sócrates, à saída da escola covilhãnense obsequiada com o seu voto:

"(...) mas o mais importante é que as pessoas venham votar e participem na festa da Democracia."

Ora, e eu a pensar que a Democracia era uma coisa séria! Mas pronto, se calhar estava enganado. Talvez seja mesmo uma festa, um carnaval, uma palhaçada. Sobretudo em alturas de eleições. Talvez essa seja a única explicação para artistas de circo como Avelino, Valentim, Fátima, Carmona e Carrilho (o duo dinâmico), Rio e Assis, Isaltino, etc. etc. etc.

Eterno Entorno

2 comentários:

Cp disse...

Tendo como exemplo a situação em Felgueiras "festa" fica aquém do real. A "palhaçada" democrática era termo mais apropriado!

david disse...

Sabe-se agora que João Soares é o novo trapesista desta festa! O único no planeta que consegue dar "dois encarpados" duas vezes seguidas, com um intervalo de quatro anos.